Notícias

Circulares

CIRCULAR: 07/12/2016


ASSOCIAÇÃO A VERDADEIRA VIDA EM DEUS - BRASIL



CIRCULAR: 07/12/2016

Data: 07 de dezembro de 2016



IX Retiro Latino Americano AVVD. Novembro/2016, Aparecida- SP – Agradecimento


Meus queridos irmãos e irmãs de AVVD. Saúdo-vos na unidade deste grande amor que convivemos nestes tão valiosos dias de nosso IX Retiro LA.


A 10 dias do encerramento do retiro, espero encontrá-los todos ainda fortalecidos e perseverantes pelas graças que recebemos.

Poderia escrever páginas e mais páginas a respeito deste encontro, porém todos nós estávamos lá e fomos testemunhas presenciais, desta forma irei dispensar os comentários, apenas agradecer este bom Deus que nos escolheu entre tantos.

Um agradecimento todo especial pela presença indispensável dos Sacerdotes, Presbítero, Bispo e o Arcebispo, que fazem toda a diferença, que Deus lhes recompense por este ato de amor e carinho para com esta Obra de Jesus.

Temos uma profunda gratidão por todos nossos irmãos Latinos que nos fortaleceram com suas presenças.

Agradecemos esta equipe maravilhosa que organizou com tanto carinho e zelo por cada um de nós, foram impecáveis em todos os sentidos. Um agradecimento especial pelos trabalhos da Maria Aparecida (Cida) e Jane, que com toda paciência e confiança em Jesus, ficaram dia e noite cuidando de cada detalhe para que tudo ocorresse 100% da forma que realmente ocorreu.

Lembrando também a presença da Marina, nossa colaboradora incondicional de AVVD que fez a tradução do livro Único e tantos outros trabalhos. Deus lhe abençoe.

São muitos os agradecimentos - equipe de liturgia, equipe de cantos, as intercessoras, Sr. Alexandre e América, que se dedicaram a livraria; Dra. Margarida, que nos preparou as Liturgias; Maria Izabel, que gentilmente ornou os altares com flores; Beneval, que foi um maestro para que tivéssemos sempre dentro do cronograma; enfim, todos que proporcionaram este belíssimo evento que, de 1 a 1000, daria nota 999 porque não somos perfeitos, penso que sempre existe mais um degrau para subir até chegarmos na casa do Pai.

Não poderia deixar de fazer um agradecimento a todos e todas que corresponderam aos nossos apelos de terem feito a assinatura da Revista e aqueles que se tornaram membros ativos, contribuindo mensalmente para possibilitarmos evangelizar e alimentar nossos pequeninos irmãozinhos das Casas de Maria.

Para aqueles que não tiveram tempo de fazer as inscrições e querem colaborar, é muito simples, entre em contato pelo e-mail: e faça seu cadastro.

Importante: Solicitamos a todos que nos enviem seus testemunhos por escrito () para que possamos divulgá-los no site e na Revista. Estes testemunhos devem ser resumidos o tanto que caiba em meia folha de papel ofício e favor mandar juntamente com uma foto.

Termino saudando Joanna D’Arc e Celso, que além de se doarem durante seis anos com total entrega pela AVVD, tiveram o carinho e a paciência de ficar mais seis meses para que o novo Contato tivesse tempo de se preparar. Que Deus seja sua recompensa por tanta dedicação e amor.



Minhas considerações:

Antes do Retiro tinha dito às pessoas que haveria um grande Pentecostes e que sairíamos renovados pela ação do Espírito Santo para uma nova etapa desta obra de AVVD.

Pe. Teófilo confirmou mais de uma vez que haveria um Pentecostes e realmente houve. Todos nós fomos lavados e renovados, uns com mais e outros com menos intensidade, porém de acordo com a missão de cada um; enfim, fomos agraciados com este amor incondicional de Deus.

Desde o momento em que fui escolhido como Contato, sinto-me inspirado e fortemente impulsionado a trilhar um novo caminho, caminho este que nos convida a sairmos deste quase anonimato que até então era necessário e prudente, pelos motivos que já conhecemos, para um caminho de presença ativa e visto por milhares de almas nos quatro cantos do Brasil. Neste mesmo dia em que fui apresentado para toda a Assembleia como o novo Contato, abri o livro único e pedi a Jesus que me mostrasse qual o caminho que deveria seguir. Abri na mensagem do dia 20 de abril 1992. Primeiro Suas palavras foram dirigidas à minha pessoa e depois mostra de que forma o Espírito Santo vai me conduzir, vejamos:


“Oferece-Me tudo para amenizar minha sede! Põe tua fé em mim; dá àqueles que esperam por Minha Palavra, Meu Hino de Amor; dá de modo que todos os habitantes da Terra ouçam Meu Choro Misericordioso; não posso ignorar a súplica de Meus filhos”


Compreendi claramente que Jesus tem muita urgência de tornar conhecida Suas mensagens.


Nas minhas dúvidas de como agir corretamente, no meu recolhimento de oração e intimidade com Jesus, perguntei de qual forma eu poderia fazer isto, então, Jesus mostrou-me com simplicidade e muita clareza como viviam os Apóstolos antes do Pentecostes - sempre com medo e até se escondendo às vezes, principalmente no dia da Redenção, quando Jesus estava a caminho do Calvário. Porém, no grande dia de Pentecostes, foram renovados pelo Espírito Santo e se encheram de coragem, não mais escondidos, não mais com medo, mas em praça pública pregando a Palavra de Deus e testemunhando sua fé diante dos Governadores, Reis, Escribas e Sacerdotes do Templo.

Sim, meus irmãos e irmãs, assim como eu, acho que vocês também já entenderam claramente o que Jesus quis dizer-nos. Tivemos um Pentecostes no Retiro e agora chegou o momento de termos a coragem de sairmos para levar a todos as mensagens de Jesus, de AVVD; não podemos mais ficar no anonimato, somos os apóstolos dos últimos tempos.

Quando voltarmos ao convívio em nossas comunidades, devemos assumir o carisma desta espiritualidade sem medo, porém com muita serenidade, humildade e sabedoria. Precisamos buscar a comunhão com os sacerdotes que representam nossas comunidades, onde vivemos e temos a obrigação de dar um testemunho de vida. Em Joinville, por exemplo, sempre enfrentávamos essas resistências por parte dos Sacerdotes, mas nunca desistimos, tratamos com muito carinho nossos Sacerdotes e sempre observamos a obediência, o que faz toda a diferença, mas o segredo para conquistá-los é sempre estar perto deles, de forma especial trabalhando na sua Paróquia como catequista, liturgo, ministro da comunhão e nas pastorais... e, principalmente, rezando por eles. Lembrando que, nestas atividades, não podemos ficar pregando a espiritualidade de AVVD para os membros ativos da paróquia, e muito menos ficar abordando qualquer pessoa que apareça no pátio ou dentro da Igreja, pois desse modo estaríamos “pescando no aquário”; Jesus quer que lancemos as redes em águas mais profundas.

Deixemos que os interessados nos abordem para saber sobre AVVD, pois o importante é que eles nos conheçam, já que a nossa missão principal é ir ao encontro daqueles que estão afastados do amor de Deus e trazê-los para a Igreja. É claro que não deixaremos passar oportunidades nos momentos certos ou, em momentos adequados, fazer leituras das mensagens sem mencionar a origem. Desta forma, o Espírito Santo vai tocá-los e eles buscarão a fonte. Aí sim, poderemos nos apresentar como membro da Associação de AVVD.

Exorto aqueles que ainda não estão engajados nos trabalhos pastorais em suas comunidades que o façam. Como podemos querer que nos recebam e nos ouçam, se estivermos afastados da Igreja e da comunidade? A nossa ausência nos impedirá de darmos nosso testemunho deste grande amor que Jesus nos ensinou através das mensagens. Afinal de contas, é lá que Jesus Eucarístico está e é lá que temos obrigação de estarmos, adorando-O.

A primeira coisa que fiz após ser eleito, foi me apresentar ao meu Pároco e lhe contei tudo em confissão. Ele simplesmente deu-me uma benção e incentivou-me a continuar, disse-me que no próximo Retiro gostaria de participar conosco. Como eu participo com diversos trabalhos em minha paróquia, acredito piamente que se ele soubesse por outra pessoa, ficaria chateado comigo e até poderia me cortar das atividades que faço.

Precisamos ter sempre nas Casas de Maria a presença de um sacerdote para fortalecer nosso relacionamento com a Igreja e com os que frequentam ali, desta forma poderíamos nos beneficiar com Missas nas sedes das CM. Nós fazíamos isto aqui em Joinville e sempre tivemos apoio e carinho de alguns sacerdotes.

É dito que quem não é visto não é lembrado e nós da família de AVVD temos que ser vistos para sermos reconhecidos. Aconselho aqueles que não estão engajados em suas comunidades que procurem fazê-lo, é o primeiro passo a ser dado; e o caminho para tanto é através de uma confissão, testemunhando como foi sua conversão quando conheceu a AVVD, e depois vá até o sacerdote e se ofereça para trabalhar em sua Paróquia usando os talentos que Deus lhe deu.

Tiro como exemplo positivo desta aproximação com os sacerdotes, a começar por mim, Beneval, Alessandra, Dra. Margarida e Joanna, que sempre conseguimos fazer nossos trabalhos sem a intervenção e até com aprovação, como aconteceu no IX Retiro LA, onde a Joanna nos contemplou com a participação do Cardeal Dom Damasceno e do Bispo Dom Terra.

São João Paulo II afirmava sobre associações e movimentos “que é na medida que se colocam a serviço, no âmbito da diocese e/ou paróquias que revelam a validade de suas experiências”. AVVD, tendo característica de movimento (embora não deva ser definido como tal, senão como uma espiritualidade ou um apelo apostólico) deve seguir esses critérios, ou seja, não tem necessidade de ser reconhecida como uma estrutura dentro da estrutura paroquial! Exorto apenas ao zelo pelo testemunho pessoal de engajamento, pertença e serviço no âmbito eclesial onde recebemos o alimento, e ao zelo pela missão junto aos afastados.

Por fim, quero pedir-lhes humildemente suas orações, rezem incessantemente por todos que trabalham nesta Obra de AVVD e principalmente pelos Sacerdotes que nos apoiam e nos acompanham nesta caminhada e em dobro por aqueles sacerdotes que ainda não apoiam esta Obra de Jesus.

Que Deus abençoe a todos com a proteção da Virgem Maria e São José.



Leonardo Cesar Harger
Contato Nacional

­