unidade

  • A Vontade do Sagrado Coração

    A VONTADE DO SAGRADO CORAÇÃO

    A VONTADE DO SAGRADO CORAÇÃO

    Discurso de Vassula na Peregrinação de AVVD 2007

    UM BRADO DO SAGRADO CORAÇÃO:
    O DESEJO DE CRISTO PELA UNIDADE

    Hotel Adakule, Turquia
    25 de maio de 2007

    Queridos amigos de AVVD:

    Abaixo temos o discurso dado por Vassula, em 25 de maio de 2007, no hotel Adakule, na Turquia, durante a recente peregrinação de A Verdadeira Vida em Deus. Por favor, compartilhe este discurso com todos os leitores e amigos da AVVD e com os membros do clero de vosso país.

    Este discurso foi dirigido a uma audiência de 500 peregrinos de 59 países distintos, incluindo um Cardeal, um Arcebispo, nove Bispos e clérigos e leigos de dezoito denominações cristãs e outros credos.

    O discurso mereceu dois minutos de aplauso por parte de todos os presentes. Em resposta a esta expressão de profundo agradecimento, Vassula voltou-se aos ícones de Jesus e Maria e, Os apontando, disse "Obrigado, Jesus e Maria".

    Este discurso é uma poderosa chamada profética a todos os cristãos de todas as denominações. Sacode as consciências e exige uma resposta. Deve ser divulgado entre as pessoas de AVVD, e todos os leitores de AVVD devem transmitir esta mensagem aos sacerdotes, ministros, igrejas e bispos.

    A Verdadeira Vida em Deus é um chamado à unidade. Todas as pessoas da AVVD têm a responsabilidade de difundir amplamente o livro entitulado "Unity, Virtue of Love" ("Unidade: Virtude do Amor" - ainda não disponível em português - clique).

    Incluamos agora uma cópia deste discurso de Vassula na Peregrinação 2007 em cada livro de Unidade que se distribua. Nós, leitores de AVVD, devemos orar e jejuar acompanhando esta mensagem, para que se abram os ouvidos e mudem os corações.

    Devemos permitir agora que as graças desta última peregrinação floreçam e se expandam.

    Padres John Abberton e Tony Sullivan
    15 de junho de 2007

    Discurso de Vassula sobre os ensinamentos sobre a Unidade, contida nas Mensagens de A Verdadeira Vida em Deus, na Peregrinação Ecumênica de AVVD na Turquia, em 25 maio de 2007

    vontade-sc1

    "A Igreja é una e sempre foi una, mas as pessoas da Igreja é que, com suas rixas, seus preconceitos, seu orgulho e, principalmente, sua falta de amor mútuo, conseguiram se dividir, e todos sabemos disso!

    Cristo, ofendido, diz em uma mensagem: "O Meu Reino, na terra, é a Minha Igreja; e a Eucaristia é a Vida da Minha Igreja, essa Igreja que Eu Mesmo vos dei. Tinha-vos deixado uma única Igreja; mas, logo que vos deixei, logo que vos virei as Costas para regressar ao Pai, vós reduzistes a Minha Casa à desolação! Atirastes-la por terra! E o Meu povo anda errante, para a direita e para a esquerda. Por quanto tempo terei ainda de beber o Cálice da vossa divisão, Cálice de aflição e de devastação?" (AVVD-14 de novembro de 1991).

    Nós deveríamos dar atenção a esse lamento de Cristo, e a busca da reconciliação e da unidade deve permear toda a vida da Igreja e se tornar nossa prioridade, para alcançarmos esse objetivo, que é objetivo de Cristo. É nossa dívida para com Deus, é nossa obrigação para com Ele e é nossa responsabilidade para salvaguardarmos a credibilidade da Igreja.

    No entanto, por mais que a Igreja se esforce para atingir essa meta, enquanto a Festa da Páscoa não for unificada e não a celebrarmos juntos, nossa divisão permanecerá e não haverá progresso, pois Cristo vem nos pedindo há anos que unifiquemos as datas da Páscoa, prometendo que, se isso for feito, Ele fará o resto para nos unificar e nos levar a uma unidade plena.

    Jesus disse:"Permanecei no meu amor. Se guardardes os Meus Mandamentos, permanecereis no meu amor"(Jo 15, 9-10). Caso contrário, o Senhor diz:"Se alguém não permanecer em mim, será lançado fora, como o ramo. Ele secará e hão de ajuntá-lo e lançá-lo ao fogo, e queimar-se-á"(Jo 15,6).

    Obviamente, muitos não levam a sério essas palavras de Cristo. Como se pode ser tão falso e desonesto! Apesar de o Evangelho nos chamar à unidade, apesar das inspirações do Espírito, nossa divisão permanece. Assim, A Verdadeira Vida em Deus não pode mais tolerar que essa gangrena, que mata a funcionalidade do Corpo, nos domine, mas, ao contrário, devemos combatê-la com laços de amor. Todos deveríamos nos sentir responsáveis por ter deixado que essa doença devastasse o Corpo Místico de Cristo - ainda que ela não tenha vindo de nós, mas de nossos antepassados -, corroendo a unidade da Igreja.

    A Igreja também deveria ceder, com humildade, e dar ouvidos a todos nós, leigos, que também temos o direito de nos expressar e que buscamos desesperadamente a unidade e a intercomunhão... Sem os leigos, não há Igreja... Todos nós, leigos, desejamos ansiosamente a unidade.

    Uma vez que sabemos que Deus abomina a divisão, pois é um erro e um escândalo, por que algumas pessoas da Igreja, conscientemente, continuam a ofender a Cristo, insistindo em manter viva a divisão?

    Viver a Unidade com amor e humildade não é uma questão de sentimentalismo nem é vender a fé e a Verdade, mas sim declarar a Veracidade das Escrituras e dar vida a cada palavra do Evangelho. Não deveríamos ficar mortos para a Palavra de Deus.

    Os cristãos que permanecem divididos não vivem na Verdade, ainda que queiram parecer fidedignos e justos aos olhos do mundo; e mesmo que rezem muitas Ave-Marias e sigam muitas devoções, sua falta de amor e sua falta de humildade são um indício tão evidente que todos nós percebemos.

    Já faz séculos que os cristãos estão divididos - alguns reconhecendo seu pecado e outros reconhecendo, com pesar, que não têm nenhuma possibilidade de partilhar da Sagrada Eucaristia juntos. O que está detendo a Igreja, então? O que os detêm é o fato de não conseguirem entrar em acordo, nem se reconciliar, nem perdoar, pois, mais uma vez, faltam amor e humildade. Enquanto o coração deles não se inflamar de amor a Cristo e do fogo do Espírito Santo, continuarão inativos e inertes como os ossos secos da visão do profeta Ezequiel.

    O amor é a raiz e a base da unidade. Se a Igreja ainda não vive em plena comunhão é porque tudo o que é dito ou discutido ou explicado é feito sem amor, é estéril. Essa divisão é dirigida contra Cristo. Todos os que se dizem cristãos e permanecem divididos violam o mandamento de Cristo, que disse: "Amai-vos uns aos outros". Encaremos os fatos: os cristãos que não amam e que só vivem de vanglória jamais se reconciliarão, pois ainda não se desenvolveram plenamente em Cristo.

    Lembrem-se de quando Cristo, na Última Ceia, abençoou e ergueu o pão, dizendo a Seus discípulos:"Tomai e comei, este é o Meu Corpo". Depois, tomou o cálice, deu graças e o deu aos discípulos dizendo:"Tomai, todos vós, pois este é o Meu Sangue, o Sangue da Aliança, derramado por muitos, para o perdão dos pecados".

    Essa é uma ordem de Cristo, por isso todos nós devemos obedecê-la. Como podemos dizer que vivemos em Cristo, se não fizemos as pazes nem nos reconciliamos uns com os outros? Alguma vez já ocorreu ao povo da Igreja que ele está vivendo diariamente o pecado de sua divisão? Portanto, se sabemos disso, os pastores e todos nós temos que optar.

    Há duas opções. A primeira pertence a Deus e vem de Deus, e é: viver em amor, paz, humildade, reconciliação e unidade. A segunda pertence a Satanás e vem dele, e é: ódio, guerra, orgulho, falta de perdão, egoísmo e divisão. Não é tão difícil escolher. Mas, então, se escolhermos ficar do lado de Deus e não agirmos, seremos responsabilizados e pagaremos por cada atitude arrogante, cada orgulho, cada preconceito, por nosso rancor, pela falta de caridade, nossa frieza e por cada palavra que dissermos uns contra os outros, por nosso egoísmo e assim por diante, pois estaríamos violando os Mandamentos de Cristo. É bem simples.

    No Dia do Juízo, não podemos dizer a Deus que Ele não mostrou Sua Misericórdia em nosso tempo nem que Ele não nos revelou Seus desígnios, nem poderíamos fingir que não ouvimos o Seu Chamado ou que não o compreendemos. Eu sei, tanto quanto vocês, que os Sinais dos Tempos chamam a todos nós à Unidade. Como é que algumas autoridades da Igreja não conseguem ler os Sinais dos Tempos? Não podemos deixar de lado esses sinais vindos do Espírito Santo. Mesmo assim, alguns o fazem. Isso porque perderam o sentido do sobrenatural e crêem apenas no naturalismo, e isso é um pecado grave.

    Essas ações estéreis vão contra o que Cristo pediu ao Pai em Sua Oração, quando disse:"Que todos sejam um em Nós, assim como Tu, Pai, estás em Mim e Eu em Ti, para que o mundo creia que Tu Me enviaste"(Jo 17,21). Ainda mais quando não fazemos nada para trazer a unidade na Igreja, mas permanecemos em silêncio, como sepulcros em um vasto cemitério.

    Se alguém lhes disser que vocês estão fazendo a coisa errada ao viver uma unidade espiritual ou fazer intercomunhão, como hoje e nos dias passados, vocês deviam perguntar:

    "Por que você põe Deus à prova, impondo que os pastores fiquem divididos? Se está me questionando sobre um ato de reconciliação e amor, deve saber que estou apenas seguindo o Mandamento de Cristo. O que é melhor fazer: seguir o Mandamento de Jesus Cristo ou desobedecê-lo? É pecado amar-se e reconciliar-se mutuamente? Claro que não. Pecado é transgredir e rejeitar o Mandamento de Nosso Senhor e o apelo à Unidade. O seu pecado de divisão destruiu uma parte da Igreja e fez dela uma desolação, e você sabe disso. Então, como o Corpo de Cristo pode ser reconhecido em nós, se permanecermos divididos? Como o mundo poderia crer que foi o Pai quem enviou Cristo? De minha parte, optei por não ser como aqueles túmulos, que são como matéria inanimada que é dispersada e despedaçada pelo próprio ego e pelo espírito de orgulho, preconceitos e interesses próprios, mas ouvirei a ordem de Nosso Senhor e permanecerei nEle, pois li, com a ajuda do Espírito Santo, os Sinais dos Tempos, que nos chamam à Unidade, partilhando em volta de um só Altar... Quero ser o símbolo perfeito da Unidade, atraindo a todos, graciosamente, para a vida, uma 'Verdadeira Vida em Deus', e, assim, habitar na Santíssima Trindade".

    E vocês verão, meus amigos, quando essas palavras forem ditas, a reação daqueles que impedem a unidade e detêm as chaves para o Reino de Deus, sem nele entrar nem deixando que outros entrem. A reação será idêntica àquela dos antigos fariseus, anciãos e escribas - Anás, o sumo sacerdote; Caifás, Jônatas, Alexandre e todos os membros da família dos sumos sacerdotes, que perseguiram Pedro e João e disseram entre si:"Para que esta notícia não se espalhe mais entre o povo, proibamos, com ameaças, que no futuro falem a alguém no nome de Cristo"(At 4,17).

    Hoje, nossa resposta deveria também ser a mesma de Pedro e João:"Julgai vós mesmos se é justo diante de Deus obedecermos a vós mais do que a Deus. Não podemos prometer que vamos parar de proclamar aquilo que vimos e ouvimos"(At 4,19). E quando, em outra situação, Pedro e os apóstolos disseram ao Sinédrio, ao sumo sacerdote:"Importa obedecer antes a Deus do que aos homens"(At 5,29).

    Perguntem também a eles: "Quem de nós dois está pecando? Aquele que se reconciliou com seus irmãos, partilhando de um só Cálice e de um só Pão e seguindo os Mandamentos de Cristo, ou aquele que não se reconciliou e mantém a divisão viva, cuspindo veneno em seu irmão e ficando, assim, do lado do Divisor? Cristo é um Deus da divisão ou da Unidade? Eu, de minha parte, creio que estou do lado certo, pois escolhi a reconciliação, aquela que o Evangelho nos ensina. Não estou convencido de estar pecando, nem desobedecendo, nem prejudicando o Corpo Místico de Cristo, nem pregando princípios prejudiciais aos fiéis. Ao contrário, estou reconciliado com meus irmãos, em humildade e amor, vivendo a unidade espiritual que nosso Senhor vem nos suplicando há séculos". É isso que vocês deviam dizer-lhes.

    O Senhor disse em uma mensagem: "Ergue a tua voz na Minha Casa e pergunta aos Meus Pastores: 'Há alguém disposto a agir com vigor e amor, para reconstruir esta Casa vacilante? Há alguém aqui que esteja disposto a defender esta Casa? Há alguém que compreenda agora o que Eu digo? Há alguém, na Casa do Senhor, que esteja disposto a expandir o Reino de Deus?'" (AVVD-20 de outubro de 1998).

    Peçamos a nosso Senhor que envie Seu Espírito Santo, que é a Fonte da Unidade Cristã, para iluminar aqueles que ainda levantam objeções no caminho da unidade.

    Devemos pedir também ao Espírito Santo que nos fortaleça e nos dê o Espírito de Fortaleza, para podermos continuar a fazer a Vontade de Deus ansiosa e avidamente e para que nunca fiquemos desanimados nem desgastados se um ato vil for cometido contra nós por aqueles que não ouvem o apelo do Espírito Santo: o de sermos um.

    Cristo diz, em uma mensagem: "Eu poderia pronunciar apenas uma palavra, nas suas assembléias, e, com essa única palavra, unir a Minha Igreja. Mas a glória do Céu Me será dada pela Pobreza, pela Miséria e por aqueles considerados desprezíveis" (AVVD-13 de outubro de 1991).

    Portanto, eu assumo aqui, com todos os leitores contemplativos de A Verdadeira Vida em Deus, a posição da Pobreza, da Miséria e dos que são considerados desprezíveis pelos sábios e inteligentes e peço aos chefes da Igreja que parem, pelo Amor de Cristo, com as rixas entre si e com sua falta de sinceridade e sua indiferença para com a unidade e que permitam que o Espírito Santo os guie, ouvindo o gemido do Espírito, que nos pede, ordena, que nos reunamos em torno de um só Altar, partilhando de um só Cálice e um só Pão, proclamando, a uma só voz, que há um só Senhor, uma só fé, um só batismo e um só Deus, que é Pai de todos, acima de todos, por todos e em todos.

    Vassula

    Visite a página da Peregrinação

    Os organizadores da Peregrinação disponibilizaram uma página na internet, onde consta reflexões, relatórios e vídeos da peregrinação. Clique na imagem abaixo..

    vontade-sc2

  • Datas da Páscoa

    UNIÃO DAS DATAS DA PÁSCOA

    UNIÃO DAS DATAS DA PÁSCOA

    O Patriarca Copta Tawadros II escreve ao Papa Francisco: unifiquemos as datas para a celebração da Santa Páscoa.

    Mais Um passo em direção à unificação das datas da Páscoa. A Agência Fides publicou, em 8 de maio de 2014, a seguinte maravilhosa notícia:

    "O Patriarca da Igreja Copta Ortodoxa Tawadros II (Teodoro II), que tem uns 15 milhões de fiéis no Egito e ostenta tradicionalmente o título de Papa, enviou uma carta ao Papa Francisco, pelo primeiro aniversário de seu encontro com ele no Vaticano, entre outras coisas, convida o Papa a encontrar uma data única para a celebração da Páscoa em todas as igrejas cristãs, as do Oriente e as do Ocidente."

    o encontro

    Dom Teodoro II no encontro com Para Francisco um ano antes. Segundo a informação da Agência Fides, o porta voz da Igreja Copta Ortodoxa especificou que a carta dirigida ao Papa Francisco foi entregue ao Núncio no Egito, Paul Gobel, na terça-feira 6 de maio, na sede do Patriarcado Copta.

    O representante pontifício por sua vez entregou ao Patriarca Tawadros II um convite para enviar um representante da Igreja Copta à próxima Assembléia do Sínodo dos Bispos Católicos, que se celebrará em outubro e que será dedicado ao tema da família.

    A unificação das datas da celebração da Páscoa de Ressurreição é uma urgência muito sentida, sobretudo no norte da África e no Oriente Médio, onde coexistem no mesmo território igrejas e comunidades cristãs que fixam a data da Páscoa de diferentes maneiras, sendo o ponto de referência para umas o calendário juliano e para outras o gregoriano.
    www.fides.org/pt/news/37527

    Irmão,
    terei de suportar, uma época mais,
    a dor que tenho suportado ano a ano?
    Ou Me dareis repouso, desta vez?
    Terei de beber ainda uma época mais
    o Cálice da vossa divisão?
    Ou deixareis descansar o Meu Corpo,
    unindo, por Meu amor,
    a Festa da Páscoa?

    Irmão, unindo a data da Páscoa, aliviarás a Minha Dor e rejubilarás em Mim e Eu em ti, e recobrarei a vista a uma multidão. (AVVD-14 de outubro de 1991)

  • Pela Unidade

    ORAÇÃO PELA UNIDADE
    capela-733

    ORAÇÃO PELA UNIDADE

    áudio: Oração pela Unidade

    Medite: Jesus diz: "Agora, reza ao Pai, Comigo, Minha filha; repete, depois de Mim, esta oração:

    capela ora-593Pai, bendito seja o Vosso Nome. Uma vez que o Vosso Filho Predileto Jesus Cristo veio ao mundo, não para o condenar, mas para salvar o mundo, tende compaixão de nós.

    Olhai para as Santas Chagas de Vosso Filho, que agora estão todas abertas e lembrai-Vos do preço que Ele pagou por nós, para nos redimir a todos; Lembrai-Vos das Suas Santas Chagas e dos Dois Corações que Vós Mesmo unistes no Amor e que sofreram, juntos:
    O da Imaculada Conceição e O do Vosso Filho Predileto.

    Ó Pai, lembrai-Vos, agora, da Sua Promessa e mandai-nos o Advogado, em plena força, o Espirito Santo de Verdade, para lembrar ao mundo a Verdade, como também a docilidade, a humildade, a obediência e o grande Amor de Vosso Filho.

    Pai, chegou o tempo, em que o reino da divisão grita, clamando pela Paz e pela União; chegou o tempo, em que o Corpo ferido de Vosso Filho grita, clamando pela Retidão, aquela que o mundo ainda não conheceu; mas, por meio do Imaculado Coração de Maria e do Sagrado Coração de Jesus, dai-nos, Pai Adorado essa Paz, nos nossos corações, e fazei com que se realizem as Escrituras, ouvindo a Oração que Vos dirige o Vosso Filho Bem-Amado:
    Que todos nós possamos ser um, na Santa Divina Trindade, para todos Vos adorarmos e louvarmos à volta de um só Sacrário.
    Amém.


    Minha filha, ama-Me como Eu te amo. Amai-vos uns aos outros como Eu vos amo. Abençoada sejas. (AVVD-25 de março de 1991)

  • Unidade da Igreja

    UNIDADE DA IGREJA

    UNIDADE DA IGREJA

    1 - Unidade.

    Vassula diz:“Vocês podem calcular a minha reação, quando Jesus me disse, com palavras muito simples:“Unifica a Minha Igreja”? Eu quase cai e disse-Lhe: “Não, não, não. Isso não é, de modo algum para mim. Tentai arranjar uma outra pessoa que seja capaz de fazer isso. Alguém com autoridade e que conheça todos os problemas da Igreja”. Mas Ele disse-me:“Não. Eu quero-te a ti. Tu só tens que escrever. Eu é que unifico. Eu mesmo te enviarei às pessoas certas. Sê fiel Comigo. Faz o que puderes, que Eu farei o resto”. Então, Ele deu-me algumas visões sobre a Igreja: como estão todas divididas. E isso magoa o Seu Corpo”.

    Jesus diz: “Eu ardo num desejo... De ver a Minha Igreja unida e una...”(AVVD-15 de junho de 1995).
    “Ortodoxos! Católicos! Protestantes! Vós pertenceis-Me todos! Vós sois UM aos Meus Olhos! Eu não faço distinção alguma(AVVD-27 de outubro de 1987).

    A Escritura diz: “Todo reino dividido contra si mesmo ficará deserto, e toda cidade, ou casa, dividida contra si mesma, não subsistirá”(Mt 12,25).

    Vassula diz:“Desde 1985, o Senhor me chamou para alistar-me no Seu programa de Unidade e esta era a última coisa que eu esperava que acontecesse em minha vida. A Unidade é o foco principal do trabalho de“A Verdadeira Vida em Deus”. Mesmo que esta divisão não venha diretamente de nós, mas de nossos antepassados, ainda assim, nós a estamos mantendo viva por tanto tempo quanto nos mantemos divididos. Não podemos dizer que Deus está satisfeito quando as ovelhas ainda estão separadas.

    A Unidade virá quando usarmos as duas chaves que o Senhor está nos oferecendo, que são: a humildade e o amor.Jesus diz: “A humildade e o amor são as chaves da União. Não são nem a eloquência da palavra nem os longos discursos que os poderão levar à União”(AVVD-15 de junho de 1995). Se usarmos estas duas chaves, a Unidade triunfará sobre a nossa divisão, que é um pecado. A Unidade virá quando nós verdadeiramente começarmos a amar a Jesus Cristo. A Unidade virá quando começarmos a cuidar dos Interesses de Cristo e não dos nossos”.

    Papa Francisco falou em sua audiência semanal, em 19 de junho de 2013, ele disse:“Quanto dano é causado pelas divisões entre os católicos e entre as comunidades cristãs. Os cristãos evangélicos, cristãos ortodoxos, cristãos católicos – por que razão estamos divididos? Temos de tentar alcançar unidade”.“Rezemos para que o Senhor nos dê unidade. Oremos ao Senhor para fazer de nós membros do Corpo de Cristo, cada vez mais unidos a Cristo, ajudar-nos a não fazer o Corpo de Cristo sofrer com os nossos conflitos, nossas divisões”, disse ele.

    Vassula recomendou a leitura de duas cartas escritas por João Paulo II : Orientale Lumen e Ut Unum Sint.

    Vassula disse que o Senhor diz que os diálogos são bons, mas que Ele quer ação.
    A divisão não vem de Deus. Nossa divisão é um pecado e um escândalo para o resto do mundo. Como é que nós vamos querer que a Igreja seja acreditada diante dos olhos do mundo, quando ela prega paz e reconciliação às nações que estão massacrando os seus habitantes, se, nós no nosso próprio meio, estamos espiritualmente massacrando o Corpo de Cristo por estarmos disparando flechas venenosas uns contra os outros?

    O Pai disse numa mensagem: “Ó Minha casa real, tu trocaste a tua glória pela vergonha!(AVVD-25 de setembro de 1997).

    Jesus nos diz como estamos ofendendo o Pai por causa da nossa divisão: “Meu Pai está mais que ofendido. Por quanto tempo ainda  estará a terra dividida e devastada? Por quanto tempo estará ainda a terra dividida e em rebelião? O Espírito de Meu Pai é constantemente blasfemado e ridicularizado por muitos dos Meus ministros. Acaso não terá ainda esta geração ouvido um tumulto no céu? Ainda não ouvistes, do mais alto do céu, uma lamentação dos santos?(AVVD-05 de fevereiro de 1999).

    Todavia há Esperança: o Espírito Santo.

    Jesus diz: “Vassula, não será só por palavras que se fará a União entre irmãos, mas através da ação do Espírito Santo(AVVD-30 de setembro de 1993)

    2 - Devemos rezar para que aconteça a Unidade dos Cristãos.

    Vassula diz: Somos responsáveis por rezar pela Unidade, e os Grupos de Oração AVVD são formados para orar por isto. O mundo deve mudar e isto só é possível através de nossas orações e da transformação em nossas vidas.

    3 - Visão das três barras de ferro.

    Vassula diz: “Para ilustrar a nossa divisão, Jesus compara as três Igrejas (Católica, Ortodoxa e Protestante) a três rígidas barras de ferro. Jesus deu-me uma visão, em que eu vi três barras de ferro muito próximas entre si. Nesta visão, Jesus fez-me compreender que elas representavam as três Igrejas. Então, Jesus pediu-me que as  unisse e explicou-me que, para as unir todas as três, teriam de  dobrar-se: todos devem deixar-se curvar, suavemente”.

    Quando Cristo fala em curvar-se, Ele quer dizer que devemos nos curvar, em humildade e amor. Ele disse que a chave da União é o Amor e a Humildade.

    Mais tarde, Ele pediu-nos que nos uníssemos através da união da celebração da Festa da Páscoa, antes de darmos outros passos.

    Jesus disse à Vassula:“Desenha três barras
    une estas barras, curvando-lhes as cabeças:

    "Para vos unirdes, todos vos deveis dobrar. Todos deveis estar desejosos de vos dobrardes, aplacando o vosso ânimo(AVVD-02 de junho de 1987).

    Vassula diz: “Compreendi. Ele deu-me uma visão clara e simples de três barras de ferro. Estas barras eram direitas, rígidas e próximas  umas das outras”. E Ele disse:“Como se poderão encontrar as suas cabeças se se não vergam todas elas?(AVVD-02 de junho de 1987).

    (Compreendi: por "cabeça" Ele entendia as autoridades, os chefes)

    Jesus diz: “Essas barras representam os católicos, os ortodoxos e os protestantes. Quero que se dobrem e se unam. Mas estas barras de ferro estão ainda muito rígidas e não poderão dobrar-se sozinhas. Eu deverei, pois, vir a elas com o Meu Fogo e com o Poder da Minha Chama e elas tornar-se-ão mais maleáveis, dobrar-se-ão, fundindo-se numa só barra de ferro sólida, e a Minha Glória encherá toda a terra.

    Reza muitas vezes ao Espírito Santo esta oração:
    Vinde, Espírito Santo, vinde a nós por meio da Poderosa Intercessão do Coração Imaculado de Maria, Vossa Amadíssima Esposa. Amém.
    Com esta oração, o Meu Santo Espírito Se apressará a descer sobre vós. Rezai, a fim de que a Efusão do Meu Espírito Santo Se derrame em vós
    (AVVD-26 de outubro de 1989).

    Minha Vassula, com o Meu Fogo e com o Poder da Minha Chama, não só tornarei flexíveis estas barras de ferro, mas também, com o Meu Sopro, as fundirei completamente, para forjar, para sempre, uma só barra, bem sólida; juntar-vos-eis, pois, todos vós, ao absoluto conhecimento da Minha Vontade e da Minha Benevolência. E será este o Meu Dom, para vós: uma Igreja Celeste. Ela será radiante da Minha Glória e os vossos hinos serão cantados à volta de um só Sacrário; e a vossa terra de fantasmas reviverá,transfigurada e ressuscitada” (AVVD-02 de novembro de 1989).

    Jesus não quer que continuemos a diferenciar-nos sob o Seu Nome e diz-nos que a União se realizará no coração e não através de assinaturas de tratados. Eis o que Ele diz:Se vós dizeis que Me amais e vos mantendes sob o Meu Nome, então, por amor do Meu Santo Nome e para bem do Meu Amor,uni as Minhas igrejas.

    O verdadeiro cristão é aquele que é cristão no seu íntimoe a verdadeira União é e será nos corações. A União não estará na palavra, mas no espírito(AVVD-13 de outubro de 1991).

    Vassula diz: “Eu sou ortodoxa e, apesar disso, não tenho dificuldades em unir o meu coração ao vosso, para rezarmos juntos ao Senhor e é esta a união”.

    4 - Uma só data da Páscoa.

    Quase todos os anos, católicos, protestantes e ortodoxos celebram a Páscoa em datas diferentes - algumas vezes com mais de cinco semanas de intervalo! Esta festa para os cristãos deveria ser celebrada na mesma data. Há uma só Fé, um Messias, um Espírito Santo e nós temos duas datas para a Páscoa. O Senhor nos pede simplesmente que unifiquemos as datas da Páscoa, o que possibilitará aos católicos, ortodoxos e protestantes celebrarem juntos a Sua Paixão, Morte e Ressurreição. Uma vez dado esse passo, o Senhor prometeu enviar o Seu Espírito Santo com toda a força e levar a Sua Igreja para a unificação. Nas Mensagens, Jesus diz: “Irmão, terei de suportar, uma época mais, a dor que tenho suportado ano a ano? Ou Me dareis repouso, desta vez? Terei de beber ainda uma época mais o Cálice da vossa divisão? Ou deixareis descansar o Meu Corpo, unindo, por Meu amor, a Festa da Páscoa? Irmão, unindo a data da Páscoa, aliviarás a Minha Dor e rejubilarás em Mim e Eu em ti, e recobrarei a vista a uma multidão(AVVD-14 de outubro de 1991).

    Vassula diz que Jesus prometeu que se a igreja unir as datas da Páscoa, Ele fará o resto para que aconteça a Unidade.

    Se os líderes de igreja entrarem em acordo quanto à data da Páscoa, todas as guerras do planeta cessarão.

    Ele sofre muito. Ele quer apenas uma data da Páscoa. Ele diz: “Se vocês unificarem a data da Páscoa, mostrar-lhes-ei, depois, exatamente, o que tem a fazer no segundo passo”. Ele agora só pede isso.

    5 - Vassula é convidada a participar de um simpósio sobre a Unidade.

    Em novembro de 2001, Vassula foi convidada para um simpósio oficial sobre ecumenismo em uma localidade chamada Farfa, fora de Roma, que foi organizado pelas Irmãs de Santa Brígida. Vassula estava representando o ponto de vista de uma pessoa leiga a respeito da Unidade. Cada participante tinha uma hora para falar seguido de um debate com perguntas. A delegação completa consistia de católicos romanos e luteranos. O Bispo católico da Suécia estava lá, como também, muitos professores de teologia e monsenhores de diferentes clérigos. Nestes quatro dias de simpósio houve muitos palestrantes. Todos os palestrantes teólogos e clérigos, com exceção de Vassula. Após as palestras, havia um tempo para as perguntas. Quando Vassula terminou sua palestra e esperava por perguntas para começar o debate, um teólogo que conduzia o simpósio estava chorando. Então ele disse: “Este sermão sobre Unidade que acabamos de ouvir foi o sermão mais fervoroso que eu jamais ouvi em minha vida inteira. Portanto, eu não quero que nenhuma pergunta seja feita aqui, porque esta foi uma voz profética falando e quando se trata de uma profecia, e gente ouve e faz o que nos está sendo pedido”.

    6 - A Unidade começa em nós.

    Devemos testemunhar a Unidade em nossa vida pessoal, em nossa família, em nossa comunidade, em nossa fraternidade, para que Deus veja, para que Ele descubra que nós vivemos uma Verdadeira Vida em Deus, em nossa mente, em nosso coração e em nossas ações.

    A Unidade acontecerá de baixo para cima - começará conosco, o povo. Temos que fazer a Unidade - milhões de nós - e, assim, o clero vai acompanhar.

    Vassula gosta de dar o exemplo de Ramallah, na Terra Santa, onde há uma minoria cristã. Localizada próxima a Jerusalém, essa pequena cidade palestina celebrou, recentemente, a Páscoa em uma só data: cristãos ortodoxos e católicos quiseram ficar juntos. Eles são uma pequena minoria e se conhecem. Quiseram celebrar  juntos. Então, os católicos foram aos ortodoxos, e o clero não aprovou. Foi o povo que decidiu, e depois, no final, os padres foram junto com eles. A Unidade não virá só das autoridades das igrejas, ela tem que partir de nós, de baixo.

    Unidade tem muito a ver com todos nós, clérigos ou leigos. Hoje, mais do que nunca, Unidade é o remédio que todos precisamos em nossos países, em nossa igreja, em nossas famílias e em nossos corações.

    A Unidade é o foco principal do trabalho de AVVD. Nós, leitores de AVVD, temos a incumbência de não apenas compreender e praticar a Unidade, mas também de rezar pela Unidade.

    Vassula disse em uma palestra sobre a Unidade: "Unidade virá somente quando todos nós verdadeiramente começarmos a amar Jesus Cristo".

    7 - Vassula tem falado somente aos cristãos?

    Vassula tem falado não somente aos cristãos, mas também recebeu convite para falar aos budistas, muçulmanos e hindus.

    Muitas Igrejas convidaram Vassula já que ela traz uma mensagem de Unidade. Ela nomeou a Católica, Armênia, Luterana, Ortodoxa, Copta, Batista e outras Igrejas e Ritos que ouviram seu discurso.

­